Por que o recém-nascido chora tanto?

recem-nascido-18-cuidados-essenciais-5

 

O bebê chora porque quer alguma coisa. Os motivos variam: fome, fralda suja, frio, calor, posição desconfortável, incômodo, irritação por barulho ou luz, estresse diante da movimentação de adultos e por aí vai. É claro que, às vezes, o cansaço e a falta de sono podem fazê-lo perder a paciência. Mas lembre: essa é a única forma de expressão do pequeno. Se você perceber que está irritada demais, peça ajuda a alguém, tente sentar, respirar fundo e se acalmar. Tudo vai dar certo. Mesmo porque, a partir dos quatro meses, a tendência é que o pequeno chore menos.

Sinais de alerta

Agora, se o pequeno já está com a fralda limpa, a barriga cheia, a sede saciada e continua chorando, vale seguir a orientação da médica: “Como o cheiro e a voz da mãe são referências de vida para o bebê, aconselho que ela acalente-o sempre, com uma conversa, um afago ou colocando-o no colo. O importante é que a criança se sinta segura e amada e saiba que a mãe está por perto”, diz Cecília.
Se depois de seguir essas orientações o berreiro continuar, vale a pena investigar os seguintes fatores:

Sono. Quando os pais respeitam a necessidade que o bebê tem de dormir, as chances dele ficar irritado diminuem. Sendo assim, evite levá-lo a lugares muito agitados ou fazer passeios muito longos, principalmente nos primeiros meses de vida.

Roupa. É comum a criança chorar por conta de uma etiqueta, golas ou peças muito quentes ou apertadas. Para tirar a prova, troque a roupa dele ou dê um banho.

– Dor. Se o choro é persistente, dando a impressão de incômodo, há manchas na pele ou o abdômen está distendido, leve o bebê ao pediatra o quanto antes.

Bebê de fases

De acordo com a pediatra Cecília Mello Miranda, a fase de vida do pequeno também interfere no motivo do choro. Veja:

Até os 3 primeiros meses. O sistema gastrointestinal da criança ainda é imaturo, o que pode levar a crises de cólicas e refluxo.

Dos 3 aos 6 meses. A curiosidade de ver o mundo sob outro ângulo faz com que o bebê tenha vontade de sentar. Mas, como ainda não tem coordenação motora, ele não consegue ficar sozinho nessa posição, o que pode levá-lo a botar a boca no trombone. Além disso, é por volta dos seis meses que os dentes começam a surgir, causando irritabilidade e aumentando o chororô.

Dos 6 aos 12 meses. Nessa etapa acontece o início da alimentação complementar, que pode causar gases e intestino preso, e a interação com outras crianças, levando ao surgimento das primeiras doenças infantis.

 

O que posso fazer para aliviar as cólicas?

recem-nascido-18-cuidados-essenciais-3

 

A cólica é um fantasma que habita o inconsciente coletivo das mães, já que ela realmente pode tornar a vida dos pais um tanto angustiante nas primeiras semanas de vida da criança. Mas não perca as estribeiras. As cólicas são normais. Fazem parte do amadurecimento natural do sistema digestivo do pequeno. E não adianta medicar ou dar produtos naturais. Isso pode ser até perigoso, causando intoxicações. O melhor remédio é o leite materno. Aquecer a barriga, aconchegar o bebê e deixá-lo na posição fetal também são medidas que ajudam a contornar a situação. Agora, é preciso saber se a cólica é mesmo o motivo da choradeira. A confusão é bastante comum. Choro de cólica é aquele mais intenso, que começa e termina de forma repentina.

 

Fontes: www.bebe.abril.com.br

atmosferafeminina.com.br

Envie um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *